Seguidores

Jovem desaparecido em Santa Cruz pode ter sido torturado e morto por traficantes

Rômulo trabalhava retirando carga de navios Foto: Reprodução Facebook




















O jovem que está desaparecido desde a tarde da última quarta-feira, quando saiu de casa no Cesarão, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, pode ter sido torturado e morto por traficantes da favela do Rola, no mesmo bairro. Segundo moradores, o corpo de Rômulo Valiengo Garcia, de 25 anos, foi encontrado dentro da comunidade, nesta sexta-feira. A polícia ainda não confirmou a informação.
Pai de Rômulo, Valdir Garcia, de 58 anos, recebeu a informação através de amigos moradores da comunidade. Ele acredita o filho foi executado após traficantes do Rola perceberam que Rômulo frequentava festas organizadas por grupos milicianos, que dominam a região onde a família mora, no Cesarão.
— Os traficantes acharam fotos do meu filho em festas organizados por milicianos e por isso foi morto. A gente falava para ele não frequentar esses eventos, mas era garoto novo, não deu ouvidos. Meu filho nunca se envolveu com nada de errado, era trabalhador — disse o pai.
Até às 20h30 desta sexta-feira, a Polícia Civil não confirmou que se o corpo de Rômulo foi encontrado. Enquanto isso, a família passa a noite de sexta-feira procurando informações.


Já fomos na polícia, o delegado ficou de ligar aqui para casa, mas até agora nada. Estamos de mãos atadas, porque se a gente for no Rola está arriscado a quererem matar a gente. Estamos desesperados por informações sobre o corpo do meu filho — apelou Valdir.
Nas redes sociais, moradores da região lamentaram a morte de Rômulo.
“Estava rezando para ele aparecer. Me mandou uma mensagem ontem dizendo que eu estava sumido. Ele era uma pessoa muito boa, o Cesarão chora”, publicou uma amiga.


Um jovem de 25 anos está desaparecido desde a tarde da última quarta-feira, quando saiu de casa, no Cesarão, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, para ir para o trabalho. Rômulo Valiengo Garcia não fez mais qualquer contato com a família e também não chegou ao Porto de Itaguaí, na Baixada Fluminense, onde ajuda a descarregar os navios. A mãe do rapaz, Lenice Valiengo Garcia, de 52 anos, disse que a família já percorreu hospitais. O desaparecimento foi registrado na 36ª DP (Santa Cruz).
- Estamos num verdadeiro rodamoinho. A gente não faz a menor ideia de onde ele está. E fica recebendo mensagens desencontradas. Uma pessoa nos ligou e disse que achou o contracheque dele na Favela do Rola (também em Santa Cruz). E outro que ele se envolveu com uma “mina”. Mas não temos como saber se essas coisas são verdadeiras - disse Lenice.
Rômulo saiu de casa por volta das 17h30m - ele trabalha no turno da noite. O rapaz trocava mensagens com a namorada pelo WhatsApp. A família o aguardava de volta na quinta-feira pela manhã.